Aspectos relevantes para a produção de silagem

3 minutos para ler

Introdução 

O cultivo de milho é uma prática adotada em propriedades de diferentes níveis tecnológicos, seja destinado a grãos ou para silagem. E quando se trata de nutrição animal, que vem acompanhada de um processo de intensificação, um dos maiores desafios é transformar alimentos em leite e carne de forma eficiente e rentável. E esta necessidade parece ainda maior no segmento leiteiro, no qual constantemente nos deparamos com relatos de produtores que vivenciam momentos de instabilidade no mercado de leite, trabalhando com margens estreitas de lucratividade.

Neste aspecto, o milho entra com ampla diversificação do propósito de uso na alimentação animal, sendo destinado a participar na formulação de rações como grãos moídos, mas podendo compor a dieta animal através das diferentes modalidades de “silagem de milho”.  Esta relevância pode ser observada no trabalho conduzido por Bernardes e Rêgo (2014), o qual mostra que, das 260 propriedades avaliadas em alguns estados do Brasil (Minas Gerais, Paraná, São Paulo, Goiás, Rio Grande do Sul, Santa Catarina e Bahia), a silagem de milho estava presente em 82,7% delas (Fig.1).



Fig. 1 – Principais culturas utilizadas por produtores de leite do Brasil para a confecção de silagens (Bernardes e Rêgo, 2014).

A silagem de milho tem um grande destaque em função da produtividade proporcionada por esta cultura e pelo elevado valor energético atribuído à presença dos grãos, conferindo ao alimento característica de melhor qualidade em função dos teores de amido. E a diferença em se produzir uma silagem de qualidade está exatamente no quanto o produtor pode reduzir seu custo de produção da dieta total, uma vez que a alimentação do rebanho tem um valor expressivo no momento de “fechar o caixa”.

Para se produzir silagem de qualidade é preciso, antes de tudo, adquirir um híbrido que proporcione produtividade e qualidade com índices zootécnicos e econômicos. E o potencial do híbrido será expresso se tiver um bom manejo da lavoura quanto a fertilidade de solo e sanidade da cultura (controle de pragas e doenças). A necessidade de escolher híbridos que apresentem tolerância a problemas recorrentes na condução da lavoura vem com um propósito ainda maior, pois além de reduzir perdas no campo, traz uma segurança maior ao produtor sobre o que ele está levando para dentro do silo. Vale lembrar que o processo de conservação da silagem apenas preserva as características do material que foi colhido e ensilado.

O desenvolvimento do mercado de silagem tem sido alcançado com o trabalho duro e a colaboração da Sempre Sementes, que valoriza o cliente, acompanha e entende as necessidades do produtor. A Sempre está atenta a pesquisas para o desenvolvimento de produtos adequados e direcionados à produção de silagem, além de posicionar os híbridos de forma consciente, contando com uma equipe técnica treinada para tornar o processo mais efetivo e com suporte personalizado ao cliente. A partir deste ponto, o manejo da cultura e todo o processo de ensilagem irão influenciar diretamente no alimento final produzido.

Cássia Aparecida Soares Freitas

Supervisora Técnica de Vendas – Sempre Sementes

Posts relacionados

Deixe um comentário

Share This