Quando usar inoculante?

2 minutos para ler

Para produzir uma boa silagem, três aspectos devem ser observados: teor de matéria seca, de proteína bruta, e carboidratos. O processo de ensilagem pode ocasionar perdas acima de 20%, sendo que algumas vezes estas perdas podem refletir na qualidade nutricional.

Dentro da área que abrange a conservação de forragens, através de alguns avanços na microbiologia da silagem, tem sido possível melhorar o entendimento e ajustes para tornar a produção de silagem eficiente. O uso de inoculantes tem demonstrado ser promissor no que diz respeito a redução de perdas, melhor preservação da forragem e qualidade higiênica da silagem (controle de microrganismos indesejáveis). Porém, em muitos casos, quando o produtor é questionado do objetivo de se usar inoculante, a resposta é: “Uso inoculante para abrir o silo mais rápido”. E na verdade não é bem assim. O inoculante é composto por microrganismos vivos que podem atuar ao longo da fermentação e, ou pós abertura para reduzir perdas. Com ou sem inoculante, a massa ensilada precisa de um tempo para que todo o processo de fermentação aconteça de forma satisfatória.Além disto, para a melhor eficiência do inoculante, é preciso que as demais práticas (ex:tamanho de corte; compactação etc.) ao longo da ensilagem tenham sido executadas de forma adequada.

Saiba mais em: Sempre: Conhecimento que gera re$ultado: Devo ou não usar inoculante na silagem de milho?

Posts relacionados

Deixe um comentário